OS SACERDOTES E A BEBIDA INEBRIANTE

OS SACERDOTES E A BEBIDA INEBRIANTE

LEVÍTICO 10:8-10

“ 8 E falou o SENHOR a Arão, dizendo:   9 vinho (yayin) ou bebida forte (shekar) tu e teus filhos contigo não bebereis, quando entrardes na tenda da congregação, para que não morrais; estatuto perpétuo será isso entre as vossas gerações,   10 para fazer diferença entre o santo e o profano e entre o imundo e o limpo e para ensinar aos filhos de Israel todos os estatutos que o SENHOR lhes tem falado pela mão de Moisés.”

Objeção comum apresentada contra o uso da bebida: "Um sacerdote nunca bebida. Os cristãos são sacerdotes (Apocalipse 1:6). Logo, o cristão nunca poderá tomar algo alcoólico."

É esta uma argumentação válida? Considere cuidadosamente a análise abaixo,

1) Eram embriagantes o “vinho ou bebida forte” mencionados neste texto? 

Sim, pois quando "vinho" e "bebida forte" aparecem juntos no contexto bíblico, ambos referem-se a bebidas inebriantes (Veja no índice de bebida o artigo sobre isto). Até mesmo A Bíblia de Estudo Pentecostal diz sobre o versículo 9: “a abstinência de vinho embriagante era uma exigência para todos os sacerdotes”.

2) Todavia, quem não deveria beber "vinho ou bebida forte"?

Sem enxergar o que o texto não diz, queira perceber que não era uma lei para todo o povo, mas apenas para Arão e seus filhos.

3) Por qual razão não poderiam ingerir bebidas alcoólicas?

Visto que estas são sedativas, deveriam evitá-las para que pudessem “fazer diferença entre o santo e o profano e entre o imundo e o limpo”. Ao se proibir a ingestão de “vinho ou bebida forte”, os sacerdotes entenderiam que a restrição não era apenas para o vinho fermentado feito de uvas. A expressão “bebida forte” deixa claro que era vetada toda bebida fermentada, não importando se era feita de fruta, raiz ou grão.

Certa vez o profeta Isaías registrou o que acontecia quando a lei de Deus era ignorada: “... até o sacerdote e o profeta erram por causa da bebida forte; são absorvidos do vinho (“estão tontos do vinho”, R), desencaminham-se por causa da bebida forte, andam errados na visão e tropeçam no juízo.” — Isaías 28:7.

4) Significa esta proibição que os sacerdotes nunca poderiam ingerir vinho e bebida forte?

Não, não quer dizer isso. Repare que o trecho bíblico em questão indica quando seria próprio a abstinência. Quando seria? "QUANDO entrassem na tenda da congregação” (versículo 9). Ou, como esclarece Ezequiel 44:21: “nenhum sacerdote beberá vinho (yayin) QUANDO entrar no átrio interior”. Para o cristão, esta resposta direta da Bíblia já é suficiente.

As seguintes referências concordam com isso:

  • A Bíblia de Estudo Pentecostal, na nota referente a Levítico 10:9, admite que a proibição era válida para “os sacerdotes no desempenho de seus deveres religiosos.” 

  • O Dicionário de Teologia Bíblica, Vol. 2, página 1153, diz que "os sacerdotes eram obrigados a não beberem vinho quando dirigiam para executarem os atos sagrados do culto." 

  • Segundo o Dicionário Bíblico Universal, de João dos Santos Figueiredo, página 115, a bebida forte "era proibida aos sacerdotes quando estavam em serviço."

Assim, Deus claramente regulamentou para que tais bebidas não fossem usadas quando estes homens de grande responsabilidade trabalhassem na "tenda da congregação" e no "átrio interior". Em nenhum momento Levítico 10:8-10 condena o uso de bebidas inebriantes fora da "tenda da congregação" ou do "átrio interior". Os sacerdotes e os levitas não permaneciam todo o tempo em serviço nestes lugares sagrados (Note Ezequiel 44:27). Tinham suas próprias casas e muitos possuíam família e filhos (Ezequiel 44:22; Levítico 22:12). Tendo isso em mente, não constituiria desobediência se bebessem em lugar não proibido pela ordem divina acima. E é realmente assim. Deus, bondosamente, autorizou o consumo de Sua própria oferta de bebida forte para os sacerdotes e sua família. (Números 18:11, 12) Logo, quando não estivessem em serviço – sem temor de estar fazendo algo condenado – poderiam ingerir moderadamente não apenas mosto (tîrôsh), mas também "vinho" (yayin) e "bebida forte" (shekar). 

Deus poderia requer que os sacerdotes e levitas fossem completamente abstêmios, mas não o fez! Apenas indicou quando não seria apropriado beber.

Qualquer dúvida restante quanto a permissão de "vinho e bebida forte" termina quando se raciocina no conteúdo próximo texto.

DEUTERONÔMIO 14:26

“E aquele dinheiro darás por tudo o que deseja a tua alma, por vacas, e por ovelhas, e por vinho (yayin), e por bebida forte (shekar), e por tudo o que te pedir a tua alma; come-o ali perante o SENHOR, teu Deus, e alegra-te, tu e a tua casa.”  

Quem sugeriu o consumo de “vinho” e “bebida forte”? Não foi o próprio Deus, por meio de Moisés? Sendo assim, o que aprendemos disso? Que Ele não desaprova estas bebidas! 

Note que o versículo 29 indica quem se beneficiaria com a provisão divina: levitas, estrangeiros, órfãos e viúvas. Naturalmente, o bom-senso regulou o comer e o beber.

Objeção comum:

“Seria totalmente contrário ao caráter santo de Deus, Ele ordenar o livre uso de bebida embriagante aos fiéis, estando estes acompanhados dos sacerdotes.”

A intenção do raciocínio acima é mostrar que "vinho ou bebida forte" eram "suco novo e fresco de uva". 

Contudo, esta idéia é falha pois não leva em conta o contexto bíblico em relação ao significado das palavras "vinho" e "bebida forte" que, quando citadas juntas, indicam bebidas inebriantes.

Além disso, parte da idéia não bíblica de que os sacerdotes sempre estariam proibidos de usar bebida embriagante, em qualquer situação. Mas isso não é verdade. Como já consideramos, o relato bíblico se dá ao trabalho de especificar que os sacerdotes não poderiam beber quando desempenhassem suas funções sacerdotais no templo sagrado. Neste caso, então, não importa se estavam ou não acompanhados: as bebidas alcoólicas deveriam ser evitadas 100%. Porém, não era esta a situação mencionada no texto em questão.

a) É proveitoso lembrar-se do caso dos nazireus. Deus proibiu que estes homens bebessem até mesmo suco de uva não-fermentado (Juízes 13:14). Neste caso era uma lei sem exceção, isto é, não era permitido consumir nada que fosse feito de uvas durante as 24 horas do dia, durante todos os dias em que durasse seu voto.

Por outro lado, não havia a menor proibição/recomendação para aquele que não fosse nazireu evitar beber suco de uva. O nazireu não vivia isolado, afastado das outras pessoas como eremita. Assim, ao passo que o povo em geral faria livre uso de puro suco de uva e demais bebidas, os nazireus estavam impedidos devido a lei divina para eles. [Para ilustrar: alguém que está de regime evitará alimentos que engordam, embora outros a seu redor possam comê-los livremente.] Por que aquele que é contrário a ingestão de bebida alcoólica nunca afirma que "seria totalmente contrário ao caráter santo de Deus, Ele ordenar o livre uso de suco de uva aos fiéis, estando estes acompanhados dos" nazireus? Não deveria a proibição valer para todos?

b) Pondere também com respeito à lei dada aos reis. Embora soubesse que — no exercício de suas funções reais — “não é próprio dos reis beber, vinho (yayin),  nem dos príncipes desejar bebida forte (shekar)" (Provérbios 31:4), o rei Salomão escreveu: “bebe com bom coração o teu vinho (yayin), pois já Deus se agrada das tuas obras” — Eclesiastes 9:7. 

Portanto, não há nada "contrário ao caráter santo de Deus" o "vinho" ser liberado para os “fiéis”, mas não para aquele que estivesse oficiando como rei. Ao recomendar o vinho, o sábio rei Salomão preocupou-se com o modo de se beber quando disse: "bebe com bom coração", isto é, com responsabilidade. Também escreveu em Eclesiastes 10:17 sobre o rei e príncipe que bebem e comem com equilíbrio, "para refazerem as forças e não para bebedice". Em seguida, no versículo 19, é dito que o "vinho alegra a vida". O próprio rei Salomão foi um dos que bebeu vinho com precaução como indicado no livro bíblico de Eclesiastes 2:3, na Versão Revisada da Tradução João Ferreira de Almeida: "Busquei no meu coração como estimularia com vinho a minha carne, sem deixar de me guiar pela sabedoria..." Naturalmente, ao "estimular-se" com vinho, Salomão mostrou ter um coração sábio por não embriagar-se. O mesmo cuidado deverá ter aquele que optar pela bebida.

Era "yayin" o vinho que Melquisedeque, sacerdote do Deus Altíssimo, deu à Abrão. — Gênesis 14:18

 

 

Embora Deuteronômio 14:26 não seja um mandamento, exemplifica o que os israelitas podiam fazer "perante o SENHOR". Para um entendimento contextual ampliado, sugiro ler todo o capítulo 14. Notará diversas das coisas que — na ocasião — Deus permitia e não permitia a seu povo. Aí está:

DEUTERONÔMIO 14

1 FILHOS sois do Senhor vosso Deus; não vos dareis golpes, nem poreis calva entre vossos olhos por causa de algum morto.

2 Porque és povo santo ao Senhor teu Deus, e o Senhor te escolheu, de todos os povos que há sobre a face da terra, para lhe seres o seu povo próprio.

3 Nenhuma abominação comereis. Estes são os animais que comereis:

4 O boi, o gado miúdo das ovelhas, e o gado miúdo das cabras,

5 O veado, e a corça, e o búfalo, e a cabra montês, e o teixugo, e o boi silvestre, e o gamo.

6 Todo o animal que tem unhas fendidas, que tem a unha dividida em duas, que remói, entre os animais, isso comereis.

7 Porém estes não comereis, dos que somente remoem, ou que teem a unha fendida: O camelo, e a lebre, e o coelho, porque remoem mas não teem a unha fendida; imundos vos serão;

8 Nem o porco, porque tem unha fendida mas não remói; imundo vos será. Não comereis da carne destes, e não tocareis no seu cadáver.

9 Isto comereis de tudo o que há nas águas: Tudo o que tem barbatanas e escamas comereis;

10 Mas tudo o que não tiver barbatanas nem escamas não o comereis; imundo vos será.

11 Toda a ave limpa comereis.

12 Porém estas são as de que não comereis: A águia, e o quebrantosso, e o xofrango,

13 E o abutre, e a pega, e o milhano segundo a sua espécie,

14 E todo o corvo segundo a sua espécie,

15 E o avestruz, e o mocho, e o cuco, e o gavião segundo a sua espécie,

16 E o bufo, e a coruja, e a gralha,

17 E o cisne, e o pelicano, e o corvo marinho,

18 E a cegonha, e a garça segundo a sua espécie, e a poupa, e o morcego.

19 Também todo o réptil que voa, vos será imundo; não se comerá.

20 Toda a ave limpa comereis.

21 Não comereis nenhum animal morto; ao estrangeiro, que está dentro das tuas portas, o darás a comer, ou o venderás ao estranho; porquanto és povo santo ao Senhor teu Deus. Não cozerás o cabrito com o leite da sua mãe.

22 Certamente darás os dízimos de toda a novidade da tua semente, que cada ano se recolher do campo.

23 E, perante o Senhor teu Deus, no lugar que escolher para ali fazer habitar o seu nome, comereis os dízimos do teu grão, do teu mosto e do teu azeite, e os primogênitos das tuas vacas e das tuas ovelhas; para que aprendas a temer ao Senhor teu Deus todos os dias.

24 E quando o caminho te for tão comprido que os não possas levar, por estar longe de ti o lugar que escolher o Senhor teu Deus para ali pôr o seu nome, quando o Senhor teu Deus te tiver abençoado;

25 Então vende-os, e ata o dinheiro na tua mão, e vai ao lugar que escolher o Senhor teu Deus.

26 E aquele dinheiro darás por tudo o que deseja a tua alma, por vacas, e por ovelhas, e por vinho, e por bebida forte, e por tudo o que te pedir a tua alma; come-o ali perante o Senhor teu Deus e alegra-te, tu e a tua casa.

27 Porém não desampararás ao levita que está dentro das tuas portas; pois não tem parte nem herança contigo.

28 Ao fim de três anos tirarás todos os dízimos da tua novidade no mesmo ano e os recolherás nas tuas portas.

29 Então virá o levita (pois nem parte nem herança tem contigo), e o estrangeiro, e o órfão, e a viúva, que estão dentro das tuas portas, e comerão, e fartar-se-ão; para que o Senhor teu Deus te abençoe em toda a obra das tuas mãos, que fizeres.

1. A PRIMEIRA MENÇÃO DE VINHO OU BEBEDICE:

Gênesis 9:20-25 "E começou Noé a ser lavrador da terra, e plantou uma vinha. E bebeu do vinho, e embebedou-se; e descobriu-se no meio de sua tenda. E viu Cão, o pai de Canaã, a nudez do seu pai, e fê-lo saber a ambos seus irmãos no lado de fora. Então tomaram Sem e Jafé uma capa, e puseram-na sobre ambos os seus ombros, e indo virados para trás, cobriram a nudez do seu pai, e os seus rostos estavam virados, de maneira que não viram a nudez do seu pai. E despertou 
Noé do seu vinho, e soube o que seu filho menor lhe fizera. E disse: Maldito seja Canaã; servo dos servos seja aos seus irmãos."

Resultou em: 
a. Nudez 
b. Perversão Sexual (Homossexualidade) 
c. Divisão na família 
d. A Maldição de um neto e da sua progenitura

2. A SEGUNDA MENÇÃO DE VINHO.

Gênesis 14:18-20 "E Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; e era este sacerdote do Deus Altíssimo. E abençoou-o, e disse: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra; E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos. E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo."

Resultados: 
a. Melquisedeque, um tipo ou manifestação pré-encarnada de Cristo 
b. Levou pão e vinho (A Ceia do Senhor) 
c.  Indica que haja mais de um tipo de vinho nas Escrituras.

3. A TERCEIRA MENÇÃO DE VINHO E BEBEDICE

Gênesis 19:31-36 "Então a primogênita disse à menor: Nosso pai já é velho, e não há homem na terra que entre a nós, segundo o costume de toda a terra; Vem, demos de beber vinho a nosso pai, e deitemo-nos com ele, para que em vida conservemos a descendência de nosso pai. E deram de beber vinho a seu pai naquela noite; e veio a primogênita e deitou-se com seu pai, e não sentiu ele quando ela se deitou, nem quando se levantou. E sucedeu, no outro dia, que a primogênita disse 
à menor: Vês aqui, eu já ontem à noite me deitei com meu pai; demos-lhe de beber vinho também esta noite, e então entra tu, deita-te com ele, para que em vida conservemos a descendência de nosso pai. E deram de beber vinho a seu pai também naquela noite; e levantou-se a menor, e deitou-se com ele; e não sentiu ele quando ela se deitou, nem quando se levantou. E conceberam as duas filhas de Ló de seu pai."

Resultou em: 
a. Nudez. 
b. Perversão Sexual (Incesto). 
c.  A Destruição da Estrutura Divina para a Família. 
d.  Esse ato trará grande problemas para o Povo de Israel nos anos futuros.

4. O SENHOR DEU MANDAMENTO PARA O SACERDOTE NÃO BEBER VINHO.

Levítico 10:8-11 "E falou o SENHOR a Arão, dizendo: Não bebereis vinho nem bebida forte, nem tu nem teus filhos contigo, quando entrardes na tenda da congregação, para que não morrais; estatuto perpétuo será isso entre as vossas gerações; E para fazer diferença entre o santo e o profano e entre o imundo e o limpo, E para ensinar aos filhos de Israel todos os estatutos que o SENHOR lhes tem falado por meio de Moisés."

Condições do mandamento: 
a. Para que Deus não os mate. 
b. Trata-se de um mandamento perpétuo. 
c. Para que possam determinar a diferença entre o santo e o profano. 
d. Para que possam determinar a diferença entre o limpo e o imundo. 
e. Para que possam ensinar o que Deus disse.

Hoje, os Cristãos são chamados sacerdotes.

I Pedro 2:5-12 "Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo. Por isso também na Escritura se contém: Eis que ponho em Sião a pedra principal da esquina, eleita e preciosa; E quem nela crer não será confundido.  E assim para vós, os que credes, é preciosa, mas, para os rebeldes, A pedra que os edificadores reprovaram, Essa foi a principal da esquina, E uma pedra de tropeço e rocha de escândalo, Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; Vós, que em outro tempo não éreis povo, mas agora sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas agora alcançastes misericórdia. Amados, peço-vos, como a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais das concupiscências carnais que combatem contra a alma; Tendo o vosso viver honesto entre os gentios; para que, naquilo em que falam mal de vós, como de malfeitores, glorifiquem a Deus no dia da visitação, pelas boas obras que em vós observem."

a.  Não apenas um sacerdócio mas um sacerdócio santo. 
b.  Nosso sacerdócio é maior do que o deles, nossa santidade deve ser maior do que deles. 
c.  Devemos anunciar as virtudes do Senhor. 
d.  Abstenção de concupiscências carnais que combatam contra a alma (isso inclui a abstenção de beber vinho).

5.  NENHUM VINHO ENQUANTO SEPARADO AO SENHOR.

Números 6:2-3 "Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando um homem ou mulher se tiver separado, fazendo voto de nazireu, para se separar ao SENHOR, De vinho e de bebida forte se apartará; vinagre de vinho, nem vinagre de bebida forte não beberá; nem beberá alguma beberagem de uvas; nem uvas frescas nem secas comerá."

Números 6:20-21 "E o sacerdote os oferecerá em oferta de movimento perante o SENHOR: Isto é santo para o sacerdote, juntamente com o peito da oferta de movimento, e com a espádua da oferta alçada; e depois o nazireu poderá beber vinho. Esta é a lei do nazireu, que fizer voto da sua oferta ao SENHOR pelo seu nazireado, além do que suas posses lhe permitirem; segundo o seu voto, que fizer, assim fará conforme à lei do seu nazireado."

Juizes 13:3-7 "E o anjo do SENHOR apareceu a esta mulher, e disse-lhe: Eis que agora és estéril, e nunca tens concebido; porém conceberás, e terás um filho. Agora, pois, guarda-te de beber vinho, ou bebida forte, ou comer coisa imunda. Porque eis que tu conceberás e terás um filho sobre cuja cabeça não passará navalha; porquanto o menino será nazireu de Deus desde o ventre; e ele começará a livrar a Israel da mão dos filisteus. Então a mulher entrou, e falou a seu marido, dizendo: Um homem de Deus veio a mim, cuja aparência era semelhante de um anjo de Deus, terribilíssima; e não lhe perguntei donde era, nem ele me disse o seu nome. Porém disse-me: Eis que tu conceberás e terás um filho; agora pois, não bebas vinho, nem bebida forte, e não comas coisa imunda; porque o menino será nazireu de Deus, desde o ventre até ao dia da sua morte."

Sobre esse Voto: 
a.  Geralmente esse é um voto temporário. 
b.  Esse voto representa uma consagração maior a Deus. 
c.  Abstenção completa durante o voto.

Devemos ser separados do mundo, para Deus.

II Coríntios 6:17-18 "Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E não toqueis nada imundo, E eu vos receberei; E eu serei para vós Pai, E vós sereis para mim filhos e filhas, Diz o Senhor Todo-Poderoso."

Romanos 12:1-2 "Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus."

a.  Devemos ser separados ao Senhor até a volta de Jesus ou que vamos estar com Ele. 
b.  Nossa consagração a Deus deve pedir este nível de separação. 
c.  Deus nos diz que somente isso é racional.

6. O REI E O JUIZ NÃO DEVEM BEBER O VINHO.

Provérbios 31:4-7 "Não é próprio dos reis, ó Lemuel, não é próprio dos reis beber vinho, nem dos príncipes o desejar bebida forte; Para que bebendo, se esqueçam da lei, e pervertam o direito de todos os aflitos. Dai bebida forte ao que está prestes a perecer, e o vinho aos amargurados de espírito. Que beba, e esqueça da sua pobreza, e da sua miséria não se lembre mais."

a.  O beber faz o bebedor esquecer a lei. 
b.  O beber faz o bebedor perverter o julgamento. 
c.  O beber faz o bebedor falhar em proteger o afligido.

Hoje os Cristãos são chamados Reis e Príncipes.

Apocalipse 1:4-6 "João, às sete igrejas que estão na Ásia: Graça e paz seja convosco da parte daquele que é, e que era, e que há de vir, e da dos sete espíritos que estão diante do seu trono; E da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dentre os mortos e o príncipe dos reis da terra. Aquele que nos amou, e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados, E nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai; a ele glória e poder para todo o sempre. Amém."

a.  Somos feitos reis por Deus e para Deus.

O Cristão é o Juiz do Mundo.

I Coríntios 2:14-16 "Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido. Porque, quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo."

a.  Se somos juízes não devemos beber e perverter o julgamento.

ADVERTÊNCIAS CONTRA VINHO E BEBEDICE

1.  Causa emoção exagerada. 
Salmo 78:65 "Então o Senhor despertou, como quem acaba de dormir, como um valente que se alegra com o vinho."

2.  Causa desequilíbrio. 
Salmo 107:27 "Andam e cambaleiam como ébrios, e perderam todo o tino."

3. O vinho escarnece do bebedor. 
Provérbios 20:1 "O vinho é escarnecedor, a bebida forte alvoroçadora; e todo aquele que neles errar nunca será sábio."

4.  Leva à pobreza. 
Provérbios 21:17 "O que ama os prazeres padecerá necessidade; o que ama o vinho e o azeite nunca enriquecerá."

Provérbios 21:20-21 "Tesouro desejável e azeite há na casa do sábio, mas o homem insensato os esgota. O que segue a justiça e a beneficência achará a vida, a justiça e a honra."

5. Causa o bebedor se ferir. 
Provérbios 26:9 "Como o espinho que entra na mão  do bêbedo, assim é o provérbio na boca dos tolos."

6.  Causa o bebedor rejeitar a obra de Deus. 
Isaías 5:11-13 "Ai dos que se levantam pela manha, e seguem a bebedice; e continuam até à noite, até que o vinho os esquente! E harpas e alaúdes, tamboris e gaitas, e vinho há nos seus banquetes; e não olham para a obra do SENHOR, nem consideram as obras das suas mãos. Portanto o meu povo será levado cativo, por falta de entendimento; e os seus nobres terão fome, e a sua multidão se secará de sede."

7.  Causa o bebedor vomitar. 
Isaías 19:14 "O SENHOR derramou no meio dele um perverso espírito; e eles fizeram errar o Egito em toda a sua obra, como o bêbado quando se revolve no seu vômito."

8.  Resulta em nudez. 
Lamentações 4:21 "Regozija-te e alegra-te, ó filha de Edom, que habitas na terra de Uz; o cálice passará também para ti; embebedar-te-ás, e te descobrirás."

9.  O mandamento é jamais se ser bêbedo. 
Romanos 13:13 "Andemos honestamente, como de dia; não em glutonarias, nem em bebedeiras, nem em desonestidades, nem em dissoluções, nem em contendas e inveja."

10.  Somos ordenados não ofender com bebida. 
Romanos 14:21 "Bom é não comer carne, nem beber vinho, nem fazer outras coisas em que teu irmão tropece, ou se escandalize, ou se enfraqueça."

11.  Somos ordenados não nos associarmos com Bêbedos. 
I Coríntios 5:11 "Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais."

12.  Somos ordenados não sermos bêbedos com o vinho. 
Efésios 5:18 "E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito;"

TIPOS DE VINHO
1.  Vinho Novo/Mosto [suco de uva recém espremidas] 
Isaías 65:8 "Assim diz o SENHOR: Como quando se acha mosto num cacho de uvas, dizem: Não o desperdices, pois há bênção nele, assim farei por amor de meus servos, que não os destrua a todos,"

Joel 1:10-12 "O campo está assolado, e a terra triste; porque o trigo está destruído, o mosto se secou, o azeite acabou. Envergonhai-vos, lavradores, gemei, vinhateiros, sobre o trigo e a cevada; porque a colheita do campo pereceu."

Isaías 24:7 "Pranteia o mosto, enfraquece a vide; e suspiram todos os alegres de coração."

Provérbios 3:9-10 "Honra ao SENHOR com os teus bens, e com a primeira parte de todos os teus ganhos; E se encherão os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares."

Neemias 10:37-39 "E que as primícias da nossa massa, as nossas ofertas alçadas, o fruto de toda a árvore, o mosto e o azeite, traríamos aos sacerdotes, às câmaras da casa do nosso Deus; e os dízimos da nossa terra aos levitas; e que os levitas receberiam os dízimos em todas as cidades, da nossa lavoura. E que o sacerdote, filho de Arão, estaria com os levitas quando estes recebessem os dízimos, e que os levitas trariam os dízimos dos dízimos à casa do nosso Deus, às 
câmaras da casa do tesouro. Porque àquelas câmaras os filhos de Israel e os filhos de Levi devem trazer ofertas alçadas do grão, do mosto e do azeite; porquanto ali estão os vasos do santuário, como também os sacerdotes que ministram, os porteiros e os cantores; e que assim não desampararíamos a casa do nosso Deus."

Neemias 13:5 "E fizera-lhe uma câmara grande, onde dantes se depositavam as ofertas de alimentos, o incenso, os utensílios, os dízimos do grão, do mosto e do azeite, que se ordenaram para os levitas, cantores e porteiros, como também a oferta alçada para os sacerdotes."

2.  Vinho Real. 
Ester 1:7 "E dava-se de beber em copos de ouro, e os copos eram diferentes uns dos outros; e havia muito vinho real, segundo a generosidade do rei."

3.  Vinho Misturado. 
Provérbios 23:29-35 "Para quem são os ais? Para quem os pesares? Para quem as pelejas? Para quem as queixas? Para quem as feridas sem causa? E para quem os olhos vermelhos?  Para os que se demoram perto do vinho, para os que andam buscando vinho misturado. Não olhes para o vinho quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente. No fim, picará como a cobra, e como o basilisco morderá. Os teus olhos olharão para as mulheres estranhas, e o teu coração falará perversidades. E serás como o que se deita no meio do mar, e como o que jaz no topo do mastro. E dirás: Espancaram-me e não me doeu; bateram-me e nem senti; quando despertarei? aí então beberei outra vez."

 4.  Vinho Aromático. 
Cantares 8:2 "Levar-te-ia e te introduziria na casa de minha mãe, e tu me ensinarias; eu te daria a beber do vinho aromático e do mosto das minhas romãs."

5.  Vinho Doce/Mosto [suco de uva recém espremidas] 
Isaías 49:26 "E sustentarei os teus opressores com a sua própria carne, e com o seu próprio sangue se embriagarão, como com mosto; e toda a carne saberá que eu sou o SENHOR, o teu Salvador, e o teu Redentor, o Forte de Jacó."

OBSERVE MAIS:

 

Referências bíblicas:

Números 6: 3

de vinho e de bebida forte se apartará; vinagre de vinho ou vinagre de bebida forte não beberá; nem beberá alguma beberagem de uvas; nem uvas frescas nem secas comerá”.

Provérbios 31: 6,7;

“Dai bebida forte aos que perecem e vinho, aos amargurados de espírito; para que bebam, e se esqueçam da sua pobreza, e de suas fadigas não se lembrem mais”.

Isaías 25:6

“O SENHOR dos Exércitos dará neste monte a todos os povos um banquete de coisas gordurosas, uma festa com vinhos velhos, pratos gordurosos com tutanos e vinhos velhos bem clarificados”.

 

Abstinência do vinho:

Gênesis 9: 21;

“Bebendo do vinho, embriagou-se e se pôs nu dentro de sua tenda”.

Levítico 10: 9;

“Vinho ou bebida forte tu e teus filhos contigo não bebereis, quando entrardes na tenda da congregação, para que não morrais; estatuto perpétuo será isso entre as vossas gerações,”

Provérbios 23: 29-35;

“Para quem são os ais? Para quem, os pesares? Para quem, as pelejas? Para quem, as queixas? Para quem, as feridas sem causa? E para quem, os olhos vermelhos? Para os que se demoram perto do vinho, para os que andam buscando bebida misturada. Não olhes para o vinho, quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente. No seu fim, morderá como a cobra e, como o basilisco, picará. Os teus olhos olharão para as mulheres estranhas, e o teu coração falará perversidades. E serás como o que dorme no meio do mar e como o que dorme no topo do mastro e dirás: Espancaram-me, e não me doeu; bateram-me, e não o senti; quando virei a despertar? Ainda tornarei a buscá-la outra vez”.

Amós 2: 12;

“Mas vós aos nazireus destes vinho a beber e aos profetas ordenastes, dizendo: Não profetizeis”.

I Tessalonicenses 5: 6;

“Não durmamos, pois, como os demais, mas vigiemos e sejamos sóbrios”.

Tito 2: 2

“Os velhos que sejam sóbrios, graves, prudentes, sãos na fé, no amor e na paciência”.

 

E seus perigos:

Provérbios 20: 1;

“O vinho é escarnecedor, e a bebida forte, alvoroçadora; e todo aquele que neles errar nunca será sábio”.

Provérbios 23: 31, 32,35;

“Não olhes para o vinho, quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente. No seu fim, morderá como a cobra e, como o basilisco, picará…”

“…e dirás: Espancaram-me, e não me doeu; bateram-me, e não o senti; quando virei a despertar? Ainda tornarei a buscá-la outra vez”.

Provérbios 31: 4-5;

“Não é próprio dos reis, ó Lemuel, não é próprio dos reis beber vinho, nem dos príncipes desejar bebida forte. Para que não bebam, e se esqueçam do estatuto, e pervertam o juízo de todos os aflitos”.

Isaías 28: 7;

“Mas também estes erram por causa do vinho e com a bebida forte se desencaminham; até o sacerdote e o profeta erram por causa da bebida forte; são absorvidos do vinho, desencaminham-se por causa da bebida forte, andam errados na visão e tropeçam no juízo”.

Oséias 4: 11

“A incontinência, e o vinho, e o mosto tiram a inteligência”.

 

E bebida fermentada:

Lucas 1: 15

“porque será grande diante do Senhor, e não beberá vinho, nem bebida forte, e será cheio do Espírito Santo, já desde o ventre de sua mãe”.

 

Doce:

Isaías 16: 10;

“E fugiu o folguedo e a alegria do campo fértil, e já nas vinhas se não canta, nem há júbilo algum; já o pisador não pisará as uvas nos lagares. Eu fiz cessar o júbilo”.

Atos 2: 13

“E outros, zombando, diziam: Estão cheios de mosto”.

 

E os obreiros:

Miquéias 2: 11;

“Se houver algum que siga o seu espírito de falsidade, mentindo e dizendo: Eu te profetizarei acerca do vinho e da bebida forte; será esse tal o profeta deste povo”.

I Timóteo 3: 3

não dado ao vinho, não espancador, não cobiçoso de torpe ganância, mas moderado, não contencioso, não avarento”;

 

E o louvor:

Deuteronômio 14: 26

E aquele dinheiro darás por tudo o que deseja a tua alma, por vacas, e por ovelhas, e por vinho, e por bebida forte, e por tudo o que te pedir a tua alma; come-o ali perante o SENHOR, teu Deus, e alegra-te, tu e a tua casa”.

 

E odres:

Mateus 9: 17

“Nem se deita vinho novo em odres velhos; aliás, rompem-se os odres, e entorna-se o vinho, e os odres estragam-se; mas deita-se vinho novo em odres novos, e assim ambos se conservam”.

 

E Jesus:

Lucas 7: 34

“Veio o Filho do Homem, que come e bebe, e dizeis: Eis aí um homem comilão e bebedor de vinho, amigo dos publicanos e dos pecadores”.

 

E a ceia do Senhor:

Lucas 22: 18

“porque vos digo que já não beberei do fruto da vide, até que venha o Reino de Deus”.

 

E os preceitos do Novo Testamento:

Romanos 14: 21;

“Bom é não comer carne, nem beber vinho, nem fazer outras coisas em que teu irmão tropece, ou se escandalize, ou se enfraqueça”.

I Timóteo 3: 8

“Da mesma sorte os diáconos sejam honestos, não de língua dobre, não dados a muito vinho, não cobiçosos de torpe ganância”,

 

E as bodas de Canã:

João 2: 3, 10;

“E, faltando o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Não têm vinho”.

“E disse-lhe: Todo homem põe primeiro o vinho bom e, quando já têm bebido bem, então, o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho”.

I Timóteo 5: 23;

“Não bebas mais água só, mas usa de um pouco de vinho, por causa do teu estômago e das tuas frequentes enfermidades”.

 

E deformidades congênitas:

Juízes 13: 4

“Agora, pois, guarda-te de que bebas vinho ou bebida forte, nem comas coisa imunda”.

 

O VINHO NOS TEMPOS DO ANTIGO TESTAMENTO

Números 6:3 “de vinho e de bebida forte se apartará; vinagre de vinho ou vinagre de bebida forte não beberá; nem beberá alguma beberagem de uvas; nem uvas frescas nem secas comerá”.

 

PALAVRA HEBRAICA PARA “VINHO

De um modo geral, há duas palavras hebraicas traduzidas por “vinho” na Bíblia.

(1) A primeira palavra, a mais comum, é yayin, um termo genérico usado 141 vezes no AT para indicar vários tipos de vinho fermentado ou não fermentado (ver Neemias 5: 18, que fala de “todo o vinho [yayin]” = todos os tipos). (a) Por um lado, yayin aplica-se a todos os tipos de suco de uva fermentado (Gênesis 9: 20-21; Gênesis 19: 32-33; I Samuel 25:36-37; Provérbios 23:30-31). Os resultados trágicos de tomar vinho fermentado aparecem em vários trechos do AT, notadamente em Provérbios 23:29-35 (ver a próxima seção). (b) Por outro lado, yayin também se usa com referência ao suco doce, não fermentado, da uva. Pode referir-se ao suco fresco da uva espremida. Isaías profetiza: “já o pisador não pisará as uvas [yayin] nos lagares” (Is 16:10); semelhantemente, Jeremias diz: “fiz que o vinho [yayin] acabasse nos lagares; já não pisarão uvas com júbilo” (Jr 48:33). Jeremias até chama deyayin o suco ainda dentro da uva (Jeremias 40:10-12). Outra evidência que yayin, às vezes, refere-se ao suco não-fermentado da uva temos em Lamentações, onde o autor descreve os nenês de colo clamando às mães, pedindo seu alimento normal de “trigo e vinho” (Lm 2:12). O fato do suco de uva não-fermentado poder ser chamado “vinho” tem o respaldo de vários eruditos. A Enciclopédia Judaica (1901) declara: “O vinho fresco antes da fermentação era chamado yayin-mi-gat [vinho de tonel] (Sanh, 70a)”. Além disso, a Enciclopédia Judaica (1971) declara que o termo yayin era usado para designar o suco de uva em diferentes etapas, inclusive “o vinho recém-espremido antes da fermentação”. O Talmude Babilônico atribui ao rabino Hiyya uma declaração a respeito de “vinho [yayin] do lagar” (Baba Bathra, 97a). E em Halakot Gedalot consta: “Pode-ser espremer um cacho de uvas, posto que o suco da uva é considerado vinho [yayin] em conexão com as leis do nazireado” (citado por Louis Ginzberg no Almanaque Judaico Americano, 1923, pp. 408, 409). Para um exame de oinos, o termo equivalente no grego no NT, à palavra hebraica yayin, ver os estudos o VINHO NOS TEMPOS DO NOVO TESTAMENTO 1 e 2.

(2) A outra palavra hebraica traduzida por “vinho” é tirosh, que significa “vinho novo” ou “vinho da vindima”. Tiroshocorre 38 vezes no AT; nunca se refere à bebida fermentada, mas sempre ao produto não-fermentado da videira, tal como o suco ainda no cacho de uvas (Isaías 65:8), ou o suco doce de uvas recém-colhidas (Deuteronômio 11:14; Provérbios 3:10; Joel 2:24). Brown, Driver, Briggs (Léxico Hebraico-Inglês do Velho Testamento) declaram que tirosh significa “mosto, vinho fresco ou novo”. A Enciclopédia Judaica (1901) diz que tirosh inclui todos os tipos de sucos doces e mosto, mas não “vinho fermentado”. Tirosh tem “benção nele” (Isaías 65:8); o vinho fermentado, no entanto, “é escarnecedor” (Provérbios 20:1) e causa embriaguez (ver Provérbios 23:31).

(3) Além dessas duas palavras para “vinho”, há outra palavra hebraica que ocorre 23 vezes no Antigo Testamento, e frequentemente no mesmo contexto – shekar, geralmente traduzida por “bebida forte” (e.g., I Samuel 1:15; Neemias 6:3). Certos estudiosos dizem que shekar, mais comumente, refere-se à bebida fermentada, talvez feita de suco de fruto de palmeira, de romã, de maçã, ou de tâmara. A Enciclopédia Judaica (1901) sugere que quandoyayin se distingue de shekar, aquele era um tipo de bebida fermentada diluída em água, ao passo que esta não era diluída. Ocasionalmente, shekar pode referir-se a um suco doce, não-fermentado, que satisfaz (Robert P. Teachout: “O Uso de Vinho no Velho Testamento”, dissertação de doutorado em Teologia, Seminário Teológico Dallas, 1979). Shekar relaciona-se com shakar, um verbo hebraico que pode significar “beber a vontade”, além de “embriagar”. Na maioria dos casos, saiba-se que quando yayin e shekar aparecem juntos, formam uma única figura de linguagem que se refere às bebidas embriagantes.

 

A POSIÇÃO DO ANTIGO TESTAMENTO SOBRE O VINHO FERMENTADO.

Em vários lugares o AT condena o uso de yayin e shekar como bebidas fermentadas.

(1) A Bíblia descreve os maus efeitos do vinho embriagante na história de Noé (Gênesis 9:20-27). Ele plantou uma vinha, fez à vindima, fez o vinho embriagante de uva e bebeu. Isso o levou à embriaguez, à imodéstia, à indiscrição e à tragédia familiar em forma de uma maldição imposta por Canaã. Nos tempos de Abraão, o vinho embriagante contribuiu para o incesto que resultou em gravidez nas filhas de Ló (Gênesis 19:31-38).

(2) Devido ao potencial das bebidas alcoólicas para corromper, Deus ordenou que todos os sacerdotes de Israel se abstivessem de vinho e doutras bebidas fermentadas, durante sua vida ministerial. Deus considerava a violação desse mandamento suficientemente grave para motivar a pena de morte para o sacerdote que a cometesse (Levítico 10:9-11).

(3) Deus também revelou a Sua vontade a respeito do vinho e das bebidas fermentadas ao fazer da abstinência uma exigência para todos que fizessem voto do narizeado (ver próxima seção).

(4) Salomão, na sabedoria que Deus lhe deu, escreveu: “O vinho é escarnecedor, e a bebida forte, alvoroçadora; e todo aquele que neles errar nunca será sábio” (Provérbios 20.1). As bebidas alcoólicas podem levar o usuário a zombar do padrão de justiça estabelecido por Deus e a perder o autocontrole no tocante ao pecado e à imoralidade.

(5) Finalmente, a Bíblia declara de modo inequívoco que para evitar ais e pesares e, em lugar disso, fazer a vontade de Deus, os justos não devem admirar, nem desejar qualquer vinho fermentado que possa embriagar e viciar (ver Provérbios 23:29-35).

 

OS NAZIREUS E O VINHO

O elevado nível de vida separada e dedicada a Deus, dos nazireus, devia servir como exemplo a todo israelita que quisesse assim fazer (ver Números 6:2). Deus deu aos nazireus instruções claras a respeito do uso do vinho.

(1) Eles deviam abster-se “de vinho e de bebida forte” (6:3; ver Deuteronômio 14:26); nem sequer lhes era permitido comer ou beber qualquer produto feito de uvas, quer em forma líquida, quer em forma sólida. O mais provável é que Deus tenha dado esse mandamento como salvaguarda ante a tentação de tomar bebidas inebriantes e ante a possibilidade de um nazireu beber vinho alcoólico por engano (6:3-4). Deus não queria que uma pessoa totalmente dedicada à Ele se deparasse com a possibilidade de embriaguez ou de viciar-se (cf. Levítico 10:8-11; Provérbios 31:4-5). Daí, o padrão mais alto posto diante do povo de Deus, no tocante às bebidas alcoólicas, era a abstinência total (6.3-4).

Ap.wellinton

Recomendo:

Princípios Elementares Da Doutrina De Cristo